segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Método de campanha eleitoral

Hoje, na manifestação contra a corrupção de Arruda e sua quadrilha no governo do Distrito Federal, havia muita gente.

Os estudantes estavam lá desde a madrugada. E também partidários de Arruda e dos distritais. Houve relatos de conflitos entre os dois grupos.

O carro de som do movimento "Fora Arruda" abrigava os oradores, representantes de diferentes movimentos sociais e tendências políticas do DF, que haviam começado a se pronunciar, quando chegaram muitos ônibus e caminhões carregados de gente. As pessoas desceram em bloco a rua lateral da Câmara e se postaram junto a outro caminhão de som, de um trio elétrico, que tinha também oradores gritando que os estudantes da UnB eram burguesinhos e que os verdadeiros estudantes de Brasília eram aqueles que estavam chegando para apoiar Arruda.

Abriram faixas dizendo "Arruda fica", gritavam palavras de ordem e partiram para a estratégia de fazer muito barulho, para impedir a manifestação. A Polícia Militar fez uma barreira, separando os dois grupos. Havia muita provocação e xingamentos do lado de lá e houve tentativas de romper o cordão de isolamento da PM.

Do lado de cá, continuaram a falar os oradores programados. Entre as falas, as pessoas gritavam "Arruda na Papuda, PO no xilindró" ou cantavam músicas dizendo que os bandidos iam passear algemados no camburão. Notei que havia também pessoas que não são ligadas a sindicatos e nem são estudantes. Estavam lá movidas pela indignação e queriam protestar.

Coloco aqui dois videos da manifestação:

video


video

Arruda está usando, para lidar com as manifestações contra ele e sua quadrilha, o mesmo método que aprendeu com Roriz, que é o de obrigar os servidores de cargos comissionados a irem para a rua. Algumas pessoas confidenciaram hoje que era isso: ou iriam para lá ou teriam corte de ponto e poderiam perder os cargos em comissão.

Roriz fazia isso em suas campanhas eleitorais, Arruda também fez, quando apoiado pelo pessoal de Roriz, e continua fazendo. Com mais de 18 mil cargos comissionados, o governo do DF tem muita gente para por na rua, não? E esses servidores vão, alguns por apoiarem com fé o governo e serem também cabos eleitorais, outros por intimidação.

É isso. Vamos continuar acompanhando as manifestações e as estratégias dos corruptos.


Nenhum comentário: